EU QUERO O SOL A TERRA O MAR


Eu quero, o sol, a Terra, o mar,
Eu quero amar. Eu quero perdidamente voar
De asas sempre abertas sem parar;
Voar! voar! voar! E voltar.

Eu quero, rebolar, saltar, suar,
Eu quero amar. Eu quero sempre bem estar
Sendo-me desigual aquém abraçar;
Beijar! E não me agarrar.

Os dias têm todos um lindo brilhar,
Eu quero amar. Parecem todos iguais a olhar
Mas são tão diferentes para comparar.

E se sei que morrerei sem mais voltar, 
Eu quero amar. Quem diz que isto não é amar?
- Quem nunca pensou um dia se enfrentar.

António Almeida